Vacina Contra Influenza

EPIDEMIO INFLUENZA 2.png

A vacina contra influenza utilizada no Brasil em estratégia de campanha anual do PNI tem um perfil de segurança excelente direcionada a grupos de maior vulnerabilidade, que incluem os idosos (60 anos e mais), crianças (de 6 meses a menores de 5 anos de idade), povos indígenas, trabalhadores do setor Saúde, gestantes, puérperas, população presidiária e indivíduos dos seguintes grupos de risco clínico: doenças respiratória crônica, doença cardíaca crônica, doença renal crônica, doença hepática crônica, doença neurológica crônica, diabetes, imunodepressão e obesidade grau III. Os indivívuos que não pertecem a esses grupos prioritários, acima de 6 meses de idade e que não apresente contraindicação formal, podem receber a vacina na rede privada.

Apresentação

A vacina é apresentada sob suspensão injetável (líquida) em seringa preenchida, em frascos unidose ou multidose.

Composição

 

É composta por diferentes cepas do vírus Myxovirus influenzae cultivados em ovos embrionados de galinha, inativados, fragmentados e purificados, contendo, ainda, traços de neomicina ou polimixina, gentamicina e o timerosal como conservantes. A composição e a concentração de antígenos de hemaglutinina (HA) são definidas a cada ano em função dos dados epidemiológicos, que apontam o tipo e a cepa do vírus influenza que está circulando de forma predominante nos hemisférios Norte e Sul. Segundo recomendação da OMS para a temporada de 2016 do hemisfério sul, cada dose da vacina  influenza,  contém  cepas  do  vírus Myxovirus  influenzae inativados,  fragmentados  e purificados, correspondente aos antígenos hemaglutinina (HA).

 

Há dois tipos de vacinas disponíveis:

  • Trivalente (adotada pelo PNI do Ministério da Saúde):

    • 2 cepas de influenza A e 1 cepa de influenza B

  • Tetra ou Quadrivalente (disponível na rede privada):

    • 2 cepas de influenza A

    • 2 cepas de influenza B 

Indicação

É indicada para proteger contra o vírus da influenza e contra as complicações da doença, principalmente as pneumonias bacterianas secundárias.

Contraindicações

  • Está contraindicada nas situações gerais já referidas e também nos seguintes casos:

    • Menores de 6 meses de idade;

    • Indivíduos que, após o recebimento de qualquer dose anterior, apresentaram hipersensibilidade imediata (reação anafilática). 
       

Precauções

  • Em caso de ocorrência da síndrome de Guillian-Barré (SGB) no período de até 6 semanas após a dose anterior, recomenda-se realizar avaliação médica criteriosa sobre o benefício e o risco da vacinação.

  • Em indivíduos com história de reação anafilática prévia ou alergia grave relacionada ao ovo de galinha e aos seus derivados, a vacinação deve ser feita em ambiente hospitalar, após avaliação médica.

  • Em doenças agudas febris moderadas ou graves, recomenda-se adiar a vacinação até a resolução
    do quadro com o intuito de não se atribuir à vacina as manifestações da doença.

Esquema, dose e aplicação

A vacina é administrada anualmente no início do outono preferencialmente. O número de doses e o volume são estabelecidos de acordo com a faixa etária da primovacinação para indivíduos a partir dos 6 meses de idade (ver tabela abaixo).

A vacina é administrada por via intramuscular. (Recomenda-se a administração da vacina por via subcutânea em indivíduos que apresentam discrasias sanguíneas ou estejam utilizando anticoagulantes orais).

Idade
6 meses a 2 anos
3 anos a 8 anos
A partir de 9 anos
Adolescentes
Adultos
Número de doses
Volume (cada dose)
Intervalo
Uma dose
Duas doses (primovacinação)*
Duas doses (primovacinação)*
0,25 ml
0,5 ml
0,5 ml
4 semanas após a 1ª dose
4 semanas após a 1ª dose
-----

* A primovacinação contra influenza consiste no primeiro ano em que a criança recebe a vacina. Entre a idade de 6 meses completos e 9 anos incompletos, a primovacinação são duas doses com intervalo de 4 semanas. Nos anos seguintes apenas uma dose anual. A partir de 9 anos completos, a primovacinação consiste de uma dose apenas e nos anos seguintes uma dose anual.

Eventos Adversos

 Manifestações locais

Manifestações como dor no local da injeção, eritema e enduração ocorrem em 15% a 20% dos pacientes, sendo benignas autolimitadas geralmente resolvidas em 48 horas. Os abscessos geralmente encontram-se relacionados à infecção secundária ou a erros de imunização.
 

Manifestações sistêmicas

  • São benignas, autolimitadas, como febre, mal-estar e mialgia que podem começar de 6 a 12 horas após a vacinação e persistir por um a dois dias, sendo notificadas em menos de 1% dos vacinados. Estas manifestações são mais frequentes em pessoas que não tiveram contato anterior com os antígenos da vacina.

  • Reações anafiláticas (hipersensibilidade do tipo I) são extremamente raras e podem ser relacionadas a qualquer componente da vacina. Algumas vacinas influenza podem conter mínima quantidade de proteína do ovo, podendo induzir reações alérgicas imediatas em indivíduos com alergia grave a essa proteína.

  • Considera-se importante citar que o próprio vírus da influenza pode desencadear a SGB, e que a frequência de um caso por milhão de doses administradas, encontrada em alguns estudos, é muito menor que o risco de complicações da influenza que podem ser prevenidas pela imunização. Geralmente, os sintomas aparecem entre 1 a 21 dias e no máximo em até 6 semanas após a administração da vacina.
  • Para fins de vigilância epidemiológica a ocorrência coincidente de outras doenças neurológicas de natureza inflamatória ou desmielinizante, tais como encefalomielite disseminada aguda (Adem), neurite óptica e mielite transversa, no período entre um dia e seis semanas após a aplicação da vacina, devem ser notificadas e investigadas.
Alguns aspectos epidemiológicos da infecção por Influenza
Agente Etiológico
Modo de Transmissão
 
Período de Incubação
Transmissibilidade

Imunidade
Vírus Influenza – família Ortomyxovírus
 
Transmissão direta, por meio de gotículas e secreções nasofaríngeas
 
Em média de um a cinco dias
Em média três a sete dias, iniciando-se com os sintomas clínicos
​Pela doença
Pela Vacina (imunidade específica contra os vírus utilizados em sua composição)