Assistência ao Recém-nascido na Sala de Parto

Diretrizes 2016 da Sociedade Brasileira de Pediatria 
(Departamento Científico de Neonatologia)

Fluxograma de Reanimação Neonatal  (SBP, 2016)

fluxograma C reanimação neonatal.png

Particularidades da Reanimação Neonatal em RN < 34 semanas

1. Clampeamento do cordão umbilical

Nos RN < 34 semanas com respiração e tônus adequados ao nascer, indica-se aguardar entre 30-60 segundos no máximo. Nos RN ≥34 semanas, o cordão umbilical pode ser clampeado cerca de 1-3 minutos após o nascimento.

2. Encaminhamento do RN após o clampeamento do cordão umbilical

RN <34 semanas de idade gestacional precisam sempre ser conduzidos à mesa de reanimação após o clampeamento do cordão, independente das condições de nascimento. Diferente dos RN > 34 semanas, que somente serão encaminhados em caso de alteração na respiração ou tônus muscular.

3. Passos iniciais

Enquanto estão sendo tomadas as medidas para prover calor ao RNPT <34 semanas e para manter as vias aéreas pérvias, é preciso, rotineiramente, locar o sensor do oxímetro de pulso no membro superior direito.

4. Ventilação 

Para ventilar o RNPT o ventilador mecânico manual em T é o equipamento que permite um melhor ajuste dos parâmetros a serem oferecidos durante a VPP na sala de parto. Diferente do RN a termo, o balão auto inflável não atende adequadamente às necessidades, para ser a opção de escolha na ventilação do RNPT em sala de parto. A aplicação de CPAP em RNPT ajuda a manter os alvéolos não colapsados considerando as características dos pulmões imaturos e deficientes em surfactante. O CPAP reduz a necessidade de ventilação mecânica e de surfactante exógeno no período neonatal, sem elevar a incidência de pneumotórax.

5. Oxigênio suplementar

Diferente dos RN a termo em que a necessidade de oxigênio suplementar é rara,  nos RNPT <34 semanas deve-se iniciar a ventilação com concentrações de oxigênio (FiO2) de 30% (obrigatório o uso de blender), titulando-a de acordo com a monitoração da SatO2 pré-ductal. A monitorização da SatO2 possibilita o uso criterioso e racional de oxigênio. Com um minuto de vida a SatO2 se situa ao redor de 60-65%, só atingindo valores entre 87-92% no 5º minuto. Quando os RNPT necessitarem de aumento da oferta do oxigênio durante a ventilação, deve-se fazer incrementos de 20% e aguardar cerca de 30 segundos para verificar a SatO2 e indicar novos incrementos se necessário. É importante estar atento para ir reduzindo a oferta de oxigênio na medida do possível, de acordo com a melhora clínica e a oximetria de pulso.

Referências

Reanimação do recém-nascido ≥34 semanas em sala de parto: Diretrizes 2016 da Sociedade Brasileira de Pediatria. Texto disponível em www.sbp.com.br/reanimacao - Direitos Autorais SBP

Reanimação do prematuro <34 semanas em sala de parto: Diretrizes 2016 da Sociedade Brasileira de  Pediatria. Texto disponível em www.sbp.com.br/reanimacao - Direitos autorais SBP