top of page
Roteiros de Pediatria - Banner.png

SINAIS VITAIS
(valores de referência)

Sinais vitais em Pediatria

Os sinais vitais são medidas objetivas que fornecem informações sobre o metabolismo e a fisiologia dos sistemas cardiovascular e respiratório, entre outros. Sua avaliação oferece importantes informações sobre o estado de saúde do paciente, sendo cruciais para monitorizar suas condições clínicas. Os principais sinais vitais incluem a temperatura corporal, a frequência cardíaca, a frequência respiratória, a pressão arterial e a saturação de oxigênio. Além desses parâmetros, a monitorização do tempo de enchimento capilar, do débito urinário e do nível de consciência agregam importantes informações sobre o paciente.

 

Temperatura

  • A temperatura corporal normal varia entre 35.8 e 37.3° C.

 

Saturação de oxigênio

  • A saturação normal de oxigênio por oximetria de pulso varia de 94 a 100%.

 

Perfusão periférica

  • O tempo de enchimento capilar normal é inferior a 2 segundos.

 

Os demais parâmetros abaixo necessitam ser avaliados por meio de tabelas ou gráficos (dispostos abaixo), pois variam de acordo com a faixa etária e outros aspectos da fisiologia do organismo.

1. Pressão Arterial na Infância e Adolescência 

Crianças e adolescentes de 1 a 17 anos (Ver Tabelas)

 

  • normal: < p90 (menor que o percentil 90 da tabela

  • pressão arterial elevada: p90 a p95 (entre os percentis 90 e 95 da tabela

  • hipertensão estágio 1: p95 a p95 + 12 mmHg (entre os percentis 95 e 95+12mmHg  

  • hipertensão estágio 2: > p95 +12 mmHg (maior que o percentil 95+12mmHg da tabela

Crianças e adolescentes > 13 anos de idade (parâmetros fixos)

  • normal: < 120x80 mmHg 

  • pressão arterial elevada: PAs: 120-129 mmHg; PAd: < 80 mmHg

  • hipertensão estágio 1: PAs: 130-139 mmHg; PAd: 80-89 mmHg 

  • hipertensão estágio 2: > 140×90 mmHg

Pressão Arterial de zero a 12 meses (Ver Gráfico)

Hipotensão arterial:

P.A. < percentil 5

PALS. AHA

2. Frequência Respiratória

3. Frequência Cardíaca

4. Débito Urinário

PALS. AHA

FRespiratória
FCardiaca
Diurese

5. Escala de Coma de Glasgow

Sociedade Brasileira de Pediatria. Departamento Científico de Terapia Intensiva. Trauma Cranioencefálico Grave: Guia 2019 para o tratamento de crianças e adolescentes em Unidade de Terapia Intensiva Pediátrica. Documento Científico. N° 8, 08 de Junho de 2021.

bottom of page